Dicas de Saúde

26 de abril – Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial

Entrevista: Dr. Luís Felipe Camillis – cardiologista e coordenador da Emergência da Clínica São Vicente

O que é hipertensão?
Resposta: A hipertensão, usualmente chamada de pressão alta, é diagnosticada quando a pressão arterial é igual ou maior que 14 por 9(pressão arterial sistólica acima de 140 mmHg e de uma pressão arterial diastólica acima de 90 mmHg). É importante que seja feita mais de uma medida com a pressão elevada comprovar o diagnóstico. Trata-se de uma doença muito comum e totalmente assintomática, por este motivo é muito importante que todos possam medir a pressão arterial regularmente.

Quais as conseqüências?
É muito importante frisar que as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo e que a hipertensão arterial é um dos principais fatores de risco. A longo prazo pode contribuir para infarto do miocárdio, insuficiência cardíaca, derrames, aneurismas de aorta, insuficiência renal crônica e doenças oculares.

Quem tem pressão alta?
As pessoas com histórico familiar de pressão alta, que se alimentam com muito sal e excesso de calorias, não praticam exercício, obesos, portadores de diabetes mellitus e os fumantes. A pressão arterial aumenta com a idade e maior parte das pessoas com mais de 60 anos são hipertensas.

Sintomas
A maioria dos hipertensos é assintomático, por isso é muito importante todos medirem regularmente a pressão arterial.

Como tratar a hipertensão arterial?
O tratamento da hipertensão se inicia sem medicamentos, mas com controle do peso, prática de exercícios físicos (o ideal é 30 minutos por dia, cinco vezes por semana, de exercício aeróbico); dieta com sal moderado (no máximo seis gramas de sal de cozinha por dia), moderação no consumo de álcool (no máximo, uma dose por dia para mulheres e duas doses por dia para os homens), parar de fumar e diminuição do nível de ansiedade. Quando a pressão arterial não consegue ser controlada com essas medidas ou quando ela é diagnosticada tardiamente, já com níveis mais elevados (maior que 160/100 mmHg) o médico deverá usar medicamentos para ajudar no tratamento.

Dicas importantes
É importante adotar hábitos mais saudáveis de vida e ter um diagnóstico correto e medicação para controlar o problema. A pressão arterial é curada com abordagem correta e com a sua valiosa colaboração.